Arquitetura Gótica: características, elementos e obras - Curiosidades

Blog

Arquitetura Gótica: características, elementos e obras

  • 25 de junho de 2020
  • Brenopessoa
  • Sítios a Venda em Lagoa Santa

    Esteticamente ornamentada com conceito transcendente, a arquitetura gótica se tornou um dos movimentos arquitetônicos mais admirados do mundo. Essa forma de arquitetura se desenvolveu devido a problemas arquitetônicos comuns nos tempos medievais.

    Embora tenha se originado na Idade Média, o gênero continua cativando muitas pessoas até hoje, como é evidente em alguns dos mais belos edifícios da Europa.

    Mesmo que a abordagem gótica pareça ser uma nova forma de arquitetura, seu estilo foi moldado por diferentes influências.

    O que é arquitetura gótica?

    A arquitetura gótica é um estilo europeu que valoriza a altura e exibe uma estética complexa e delicada. Embora suas raízes sejam francesas, a arquitetura gótica no Brasil pode ser encontrada em igrejas, catedrais e outros edifícios.

    Por exemplo: em São Paulo, a Catedral da Sé e em Petrópolis, no Rio de Janeiro, a Catedral de São Pedro de Alcântara, são símbolos desse tipo de arquitetura.

    História

    Durante a Idade Média, um novo estilo de arquitetura surgiu na Europa. Inicialmente chamado de Opus Francigenum, ou “obra francesa”, esse gênero arquitetônico dominou os gostos europeus, ou seja, o da Igreja Católica Romana, até o século XVI, quando ficou conhecido como “gótico”.

    O estilo gótico surgiu da arquitetura românica, uma estética medieval caracterizada por arcos, tetos abobadados e pequenos vitrais. A arquitetura gótica adotou e adaptou esses elementos românicos para produzir um novo estilo de construção que apresentava arcos exagerados e janelas ampliadas.

    No entanto, além de reinterpretar essas características, a arquitetura gótica também abandonou uma característica principal da arquitetura românica: paredes grossas. Para construções mais altas e mais delicadas, com paredes mais finas, os arquitetos góticos desenvolviam estruturas de pedra para a criação de catedrais e igrejas.

    Arquitetura gótica e românica: diferenças

    A arquitetura gótica e românica são estilos arquitetônicos, com certas semelhanças e muitas diferenças. O estilo arquitetônico românico prevaleceu nos séculos IX e XII, sendo influenciado pelo estilo bizantino e romano. Por outro lado, a arquitetura gótica surgiu em meados do século XII.

    Assim, destinava-se principalmente a fazer as igrejas parecerem o céu, tornando as igrejas brilhantes, coloridas e altas. A arquitetura românica tinha as características de grandes espaços internos, abóbadas, paredes espessas e arcos arredondados nas janelas e portas.

    Sem dúvida, uma das principais diferenças entre as duas arquiteturas está no uso do contraforte, que era comum em edifícios góticos. Ao comparar os edifícios dos dois períodos, os edifícios do período românico eram sólidos e pesados, com paredes grossas. No entanto, devido a grossura das paredes góticas, era difícil criar janelas enormes e numerosas.

    Os edifícios românicos tinham apenas pequenas janelas e, como tal, os quartos eram pouco iluminados. As estruturas românicas vieram com armações pesadas. Por outro lado, as estruturas góticas tinham um esqueleto delgado e grandes janelas com vitrais que davam mais luz aos quartos.

    Confira agora algumas características da arquitetura gótica.

    Arco pontiagudo

    Geralmente, arcos pontiagudos são encontrados em paredes ou portas. Sua forma pontiaguda sustenta o peso dos tetos. Isso porque o arco distribui o peso de um teto para fora, em vez de diretamente para baixo. Isso permite que os construtores confiem em menos suportes, como colunas ou paredes, o que permite paredes mais altas e interiores mais espaçosos.

    Abóbada com nervuras

    Introduzido no final do século XI, essa estrutura permitiu que os edifícios suportassem janelas mais altas ao longo de suas paredes. Assim, tetos irregulares e abobadados utilizavam a tecnologia do arco pontiagudo para espalhar força e peso dos andares superiores. De fato, esses suportes robustos permitiam que os tetos fossem mais altos do que antes, o que proporcionou a impressão de altura, grandeza e elegância.

    Vitral

    Os vitrais exigem arte e artesanato delicados. De fato, cada pedaço de vidro deve se encaixar perfeitamente no espaço para o qual foi fabricado e deve ser forte o suficiente para suportar o vento e a chuva. Na arquitetura gótica, os vitrais retratam narrativas bíblicas.

    Janela de rosas

    Uma janela de rosas é um vitral circular composto por raios (chamados montantes) que irradiam do centro, dividindo a janela em vários segmentos.

    Contraforte voador

    O contraforte voador é a característica externa que define a arquitetura gótica. Esses contrafortes agem para espalhar o peso das altas muralhas. Portanto, suportam a estrutura transferindo força diretamente para o solo. No entanto, o contraforte voador não era apenas prático, também era decorativo.

    Arquitetura gótica barroco

    A arquitetura gótica barroco são diferentes estilos arquitetônicos. A arquitetura barroca era comum na Itália e se espalhou pela Alemanha e América do Sul colonial, onde foi usada até o século XVIII.

    Essa foi uma tentativa da Igreja Católica de impedir que seus seguidores se convertessem ao protestantismo. Ao construir igrejas com apelo sensorial, a intenção era emocionar os paroquianos. Assim, esse estilo era baseado no uso de formas ovais e circulares, que pareciam aumentar a emoção.

    Quando a arquitetura gótica surgiu como um diferente design para as igrejas e catedrais como citado anteriormente, as construções tinham arcos pontiagudos, telhados com nervuras, janelas grandes e fachadas ornamentadas.

    Encontre seu imóvel:

    L&Q Imóveis

    Av. Academico Nilo Figueiredo nº 1800 Sala 01 - Bela Vista, Lagoa Santa / MG.

    Ver mapa de localização

    Aplicativo

    Fale conosco

    © Copyright 2018 - Todos os Direitos reservados.